À moda antiga :: registro para o futuro

Sou apaixonada por histórias de época, especialmente entre os séculos XVII e XIX. Fico pensando como conseguiram descobrir tantos detalhes sobre os costumes desses tempos. Decidi registrar aqui, para a posteridade, alguns dos costumes do meu tempo. Mesmo não concordando com a maioria deles. Quem sabe por isso eu me identifique tanto com a moda antiga.

CASAMENTO

Dois jovens flertam e ficam. Ficar é uma experiência de beijos, carícias e sexo (não exatamente nessa ordem e não necessariamente até a última ação) sem compromisso. Se rolar a química, o rapaz entra em contato com a moça e eles marcam de se encontrar outras vezes (também acontece de a moça fazer contato, mas pode passar de atrevida).

Depois de alguns encontros a relação se torna mais séria, chamamos de ‘namoro’. O namoro pode durar anos, meses ou dias. Se ambos pretenderem um compromisso mais sério, então noivam. Acontece de haver rompimentos no noivado, mas é mais raro. Geralmente quem noiva, casa.

Alguns moram juntos antes do casamento, mas são vistos como ousados. Geralmente, os casais moram juntos após o casamento e depois disso têm filhos. É, em geral, como acontece.

Não existem dotes, mas há um consenso de que a família da noiva arca com as despesas da cerimônia e festa de casamento. Mas é muito natural o noivo participar com alguma contribuição financeira.

Se eles acreditam não estar mais dando certo, se divorciam. Basta um advogado e alguns acordos sobre a partilha de bens e como administrar a agenda dos filhos entre as duas casas.

Existem aplicativos virtuais que possibilitam casais se encontrar para sexo casual.

Existem aplicativos virtuais que apontam todos os caminhos para um cônjuge trair o outro sem deixar vestígios.

De vez em quando acontece de um casal se amar de verdade, superar as dificuldades juntos e viverem muitos anos de felicidade, fidelidade, em parceria e com saldos de realização mútua. Os filhos desses casais têm ótimas referências de família feliz e, provavelmente reproduzam o modelo no qual cresceram.

FAMÍLIAS

Ainda existem algumas à moda antiga. Conforme o tempo avança, elas se constróem das mais variadas formas.

MATERNIDADE

Em nosso país é muito comum adolescentes engravidarem, e os números sobre isso só aumentam. Na maioria das vezes isso acontece entre as classes  sociais C e E (mais pobres). Essas mesmas mães costumam engravidar novamente sem um parceiro fixo. Dizem que é a falta de informação e de diálogo com os pais. O Governo tem trabalhado iniciativas nessa direção, mas não têm surtido efeito claro.

Mulheres mais maduras também são mães solteiras, na maioria dos casos sem planejamento. Mas acontece, ainda raro, de darem esse passo sozinhas, pelo temor de verem a idade avançar e, sem sucesso na procura pelo parceiro ideal, perderem a chance de serem mães.

Quando a mulher engravida (com planejamento e/ou condição para receber o neném) recebe parabéns. Quando é menino, recebe parabéns. Quando é menina, também.

Existe uma discussão muito complexa sobre Parto Natural X Parto Cesáreo. Pouco consenso há a respeito.

Após o parto, a mãe recebe um salário-maternidade por quatro meses e é dispensada do trabalho, como se fossem férias. Mas o Ministério de Saúde defende o aleitamento exclusivo por seis meses. É, conta não fecha mesmo. Alguns setores, poucos em relação ao todo, praticam a licença maternidade de seis meses.

Rola uma discussão sobre poder amamentar em público. Alguns acham uma depravação.

Refluxo é a doença da vez entre os bebês de poucos meses. Tipo o estresse ou a depressão entre os adultos nos últimos tempos. Todos clinicamente diagnosticados e tratados.

As cólicas continuam testando os limites da sanidade mental de seus pais.

É muito incomum matricular um filho com mais de 3 anos na escola. Eles costumam ingressar cedo nas creches.

As aulas duram meio período. As mães que trabalham o dia todo precisam de babás ou ajuda de algum familiar para cuidar dos filhos na outra parte do dia. Muitas escolas estão oferecendo aulas em período integral.

Os pais que trabalham fora passam com os filhos o período da noite e fim da tarde, quando chegam mais cedo em casa. Mas eles admitem o papel de principais educadores.

MODA

As novelas, redes sociais e internet em geral lançam moda com muita rapidez. Acessórios, estampas, peças variadas. Batom roxo de morto vivo é super tendência, pintar o cabelo só da metade pra baixo. Hollister, Dudalina, não, não são escolas. Quando a coisa viraliza, de fato, parece que todo mundo estuda no mesmo colégio e não teve tempo de tirar o uniforme.

Alice Salazar faz um serviço de utilidade pública ao ensinar como se maquiar – através de vídeos na internet.

Os estilos se misturam muito. Mas a maioria prefere não arriscar.

RELIGIÃO

Cada vez mais aguada e sem identidade. Todo mundo é crente e todo mundo acredita em Deus. Para uns Deus está dentro de nós, para outros Deus é a natureza, para outros Deus é Deus, mas mudou de opinião em relação a tudo que parece antiquado. Como se Ele preferisse fazer vistas grossas a ser impopular.

Porém, quase ninguém entende a Bíblia. Quando acontece de lerem a Palavra, porém, fazem totalmente fora de contexto como se fosse um horóscopo aleatório. Páginas amarelas de bençãos. Cada dia você escolhe uma bem bacana.

COMIDA

A culinária também sofreu os benefícios da globalização. É possível, sem dificuldade, descobrir receitas de pratos de qualquer lugar do mundo.

Qualquer um pode se reinventar na cozinha com poucos cliques no Google. Google é pai dos burros. Substituiu o dicionário, que faleceu pobre e sem amigos.

MOEDA

O Dólar, hoje, está mais caro que o Euro em relação ao Real. Nunca, em toda a sua história, o Real esteve tão desvalorizado no cenário internacional.

JOVENS

Existe um app que qualquer um pode ter, independente de classe social, religião ou sexo, chama-se WhatsApp. Ultimamente tá rolando o #nudes : Envio de fotos em condições de pouca, ou nenhuma, vestimenta. Enquanto alguns se escandalizam, a prática avança a passos largos.

Os pais têm priorizado a amizade com os filhos, em detrimento da correção e disciplina. O resultado disso só o futuro vai revelar, quando esses jovens se tornarem os novos adultos, pais e professores.

A maioria dos romances acontecem patrocinados pela mesada. Os caras bancam de espertos, mas pedem um troco pra pagar um sorvete pra mina.

Muitos jovens crescem com uma falsa impressão sobre a vida adulta.

Os jovens saem para beber nas noitadas. A diversão vai madrugada a dentro e, geralmente, termina em sexo. Mas isso já não muda desde muito tempo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s