Poesia :: Enquanto ele cresce

A cada primavera ele conhece mais flores

Sente outros perfumes, prova novos sabores

Enquanto os invernos trocam de turno

Ele imagina como é morar em Netuno

Passam as estações, vagarosamente e discretas

Exatamente como se eleva a altura de suas metas

*

Enquanto ele cresce, vejo muito de perto

Avançar no horizonte de seus sonhos tão ternos

Seu suspiro quando crê não haver limite

Para nada pelo quê o seu coração almeje

Suavemente atravessa os mares, os desertos

Para ele tudo é possível mesmo de olhos abertos

*

Lamento não podermos oferecer um mundo que lhe caiba

Onde as pessoas sejam todas boas e de todo confiáveis

Me perdoe não deixá-lo ser totalmente livre, além de nossos portões

Mas, infelizmente, seu futuro reserva uma série de frustrações

*

Enquanto eu puder vou reservá-lo para mim

Aqui no nosso mundinho encantado

Mas temendo que um coração tão puro assim

Seja impiedosamente desprezado

*

Enquanto ele cresce, reforço as fortalezas de sua frágil alma

Pavimento com amores e valores essa imprevisível estrada

Por onde ele deve andar desacompanhado, mas nunca sozinho

Uma pena, mas tem de ser esse mesmo o nosso caminho

*

A gente sofre às vezes, cai e levanta

Mas para os grandes, não importa a afronta

Tudo sempre aponta para o alto

E assim, faz-se o extraordinário

*

Que em seu coração haja sempre muito para dar

E, ainda que este mundo não esteja sempre a melhorar

Que sua alma não seja demasiadamente acanhada

Mas faça a diferença nessa humilde caminhada

Jeanne Moura

***

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s