Adeus, Brasília

Morei no plano, aprendi a fazer tesourinha, trabalhei no setor bolinha, entendi a disposição das quadras. Posso dizer que meus quase oito anos de Brasília valeram a pena. De sul a nordeste deste Brasil, entre todas as cidades onde morei, acho que Brasília é a cidade que mais domino. Amei morar aqui.

É uma cidade grande, mas não tanto. Tem violência, mas não tanto. Trânsito tem também, mas não tanto. Estacionamentos tem, quer dizer, esses não tem mesmo. Quando me apresentaram Brasília, disseram que havia quadras para cada coisa que se precisasse. Tipo, quadra das farmácias, das elétricas, das lojas de bebê. Eu pensei: “Gente, mas isso não parece prático. Aí você precisa ir na farmácia e vai ter que atravessar a cidade?” Mas a verdade é que existem essas quadras sim, mas nas entrequadras você encontra um mini comércio bem organizado e com um pouco de tudo.

Aí falaram das tesourinhas. O raio das tesourinhas. Que são, aliás, como trevos que passam embaixo das principais vias do plano piloto. Deve haver quem passe uma vida inteira e não pegue a dinâmica das tais, se você tem dificuldades com noções de espaço, sugiro usar o GPS.

Plano piloto é a famosa Brasilia, embora, todas as cidades satélites respondam por Brasília também. As cidades satélites são governadas pelas suas Administrações Regionais, que são escolhidas a partir do GDF, o Governo do Distrito Federal, para o qual se praticam as eleições como as dos governos estaduais.

Para qualquer lugar que se vá, você leva 30 minutos.

Eu elegi um shopping para necessidades específicas. Por exemplo, fazer orçamentos de óculos: Conjunto. Dar umas voltas sem comprar nada: Iguatemi. Comprar livros: Casa Park. Comprar barato: Pátio. E o meu preferido: Parkshopping. Meu marido ficava impressionado como eu sabia para que lado fica cada coisa por lá, era meu álibi sobre ter inteligência espacial, já que com as tesourinhas: custou!

Brasília é o paraíso dos concursos, a maioria dos jovens que conheço estudou direito visando concursos púbicos. O resto também visava os concursos, mas não exatamente pelo caminho direito, digo, o curso, né?

Meu Noah, desde bem pequeno, adorava passear na Catedral “dos sinos”, Torre de TV, Esplanada, Zoo, o que me fez ver que Brasília é muito mais que a Feira dos Importados (ponto turístico também).

Existe um sinal que comprova minha adaptação às cidades novas. Quando descubro um bom salão de beleza e um bom supermercado. Quando isso acontece, já me considero inicialmente adaptada. O resto vem naturalmente. Não temo.

Só em Brasília morei em 6 endereços diferentes. Então foram 6 salões, 6 supermercados. Mas, ao final, eu já podia escolher entre os 6, e nossa! Que sensação maravilhosa essa de ter raízes.

Depois de passar por São Paulo, Sergipe e Rio Grande do Sul, digo que Brasilia tem um jeito muito peculiar que se encaixou comigo. O povo é humano, animado, de todo lugar e de lugar nenhum. Não existe um sotaque só, mas existe sotaque de todo canto representado, e existe a mistura de todos eles. Me senti em casa desde o primeiro dia.

Mas de tudo isso, do que mais sentirei saudades são as pessoas. As que eu visitava nas tardes solitárias, o pessoal que sempre topava sair em cima da hora, as amigas com filhos, as amigas de vez em quando, a turma da risada, a galera dos ensaios, o pessoal do papo sério, os conselheiros papo firme.

O que torna Brasília a mais especial, de fato, são as estatísticas. Aqui existem mais amigos por quilômetro quadrado do que qualquer outro lugar do mundo. A maior concentração já registrada. Por isso, sentirei saudade. Brasilia nomeia, de certa forma, cada um desses amigos.

Obrigada por tudo, Brasilia.

Vou sentir falta do chocolate quente cremoso do Biscoitos Mineiros. Do frango no tucupi, na Feira da Torre. Dos pastéis na Feira do Guará. Do almoço farto no Palhoça. Dos pores-de-sol na Esplanada. Dos flamboyants e dos Ipês. Da pechincha na Feira dos Importados. Da praticidade de  Águas Claras. Dos pastéis da Viçosa. Das bicicletas alaranjadas. Dos passeios no Parque da Cidade. Do Nicolândia. Dos artistas nos semáforos. Do Na Hora. Do Mangai (consagrado patrimônio da humanidade). Dos domingos no Eixão. Dos pequenos e astronômicos ajuntamentos no Estacionamento 4 do Parque da Cidade.

Não vou me esquecer das inundações do Vicente Pires. Da bagunça de Taguatinga. Do frio na barriga em Ceilândia. Do medo no Sol Nascente. Do mofo metade do ano. Da seca na outra metade. Dos acidentes de trânsito no início da temporada de chuvas. Da Weslian Roriz.

Quando eu voltar, com meu próprio carro, táxi ou transporte público saberei chegar em qualquer lugar. E, talvez, pouca gente entenda quão extraordinário seja isso. Voltarei, um dia.

Me despeço, por enquanto.

Adeus, Brasília.

 

 

:: Jeanne Moura :: é autora do livro Quando nasce uma mãe e reside hoje nas Filipinas. Basta clicar aqui para saber mais e adquirir o seu eBook.

 

 

 

[…]

Anúncios

269 comentários sobre “Adeus, Brasília

  1. Jeanne, estou vendo seu texto um ano depois (um pouco mais de um ano na verdade rsrsrs) e adorei cada linha! Nós, brasilienses, ficamos lisonjeados com cada linha! Muito muito obrigado!

    E quando você voltar, me avise porque vou te apresentar (e ao seu filho e esposo) vários lugares fantásticos que abriram neste 1 ano. =D

    Moro na 409 norte (Asa Norte). Volte logo! =D

    Curtir

  2. Quanta sensibilidade, me emocionou, amo qndo vejo pessoas falarem bem de Bsb, sinto um certo orgulho, pq logo penso, faço parte disso!!!
    Nosso quadradinho tá de braços abertos ao seu retorno 💝

    Curtido por 1 pessoa

  3. Adorei o texto só não entendi o frio da barriga na Ceilândia, só quem morra aqui sabe o quanto a Ceilândia é maravilhosa sim tem as quadras perigosas como em qualquer lugar!

    Curtir

  4. Que delícia o seu olhar dessa cidade que morro de amores!Sua delicadeza e sua praticidade transformaram a sua vida muito mais linda e deliciosa de curtir e aproveitar cada momento dessa vida tão corrida!Desejo que continue sempre com esse olhar!Amei!Um beijo grande e apetadinho de carinho!Viva sempre feliz!😊🌷❤🎶🎼

    Curtido por 1 pessoa

  5. Belo e simples o seu texto. Bem candango.
    Brasília é o meu lugar. Ajudei construir esta cidade. É bonita. Tem seus encantos.
    Tem sua beleza e sua dor para deixá humana.
    Vi seus filhos de todo o Brasil chegando a cada dia com coragem no peito e força nas mãos.
    Ainda bem que meus tiveram a idéia de vir pra Brasília com seus filhos e aqui tiveram outros. ..e netos…. bisnetos….
    Brasília é assim. Suas portas são sempre abertas. Quem quiser chegar,vai entrando. É o nosso país.

    Curtir

    1. Muito bom o texto! Sempre achei interessante como é dividida a cidade, diferente das capitais dos demais estados, zona norte, zona sul…em Brasília são as quadras, asa sul, lago norte…estive aí uns meses atrás, o plano piloto é lindo! Sucesso Jeane!

      Curtir

  6. Nasci aqui e hoje tô com 34 anos. Obrigada pelo texto gentil! Só é uma pena essa eterna visão de que os jovens pensam tanto em serviço público. Eu nunca pensei nisso. Meus amigos todos também não. Meus pais não eram funcionários públicos. O de vários amigos meus, também não. E é verdade que muitos de nós somos hoje funcionários públicos, mas somos psicólogos, médicos, biólogos, atuando em suas áreas Nenhum fez Direito. Enfim, só um comentário, não uma crítica. 🙂 Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  7. Olá, Ja morei em vários lugares do Brasil, atualmente estou em Floripa, e meu próximo Destino será Brasília por mais 3 anos. Nao sei nada sobre e este texto me ajudou muito, porem, qual um lugar bom pra Morar, onde podemos ter qualidade de vida, (segurança) sem gastar muito? Ou seja hoje eu Moro aqui no Pedra Branca Palhoça, em uma casa com 4/4 de médio padrão, ou seja, condomínio fechado com tudo que precisamos pra morar bem. Alguém sugere algo em Brasília? Qual seria o Custo e tal, nao vou comprar imóvel ai, preciso alugar pois nao sei quanto tempo ficarei ai.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, Antonio, pelo que você fala, talvez seja melhor você procurar uma casa para alugar nos condomínios que ficam próximos à ponte JK, que dá acesso rápido ao centro político-administrativo. Ali há alguns muito seguros, práticos e confortáveis. Boa sorte e bem vindo.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Melhor lugar na minha opinião, tanto pela segurança, tranquilidade, proximidade ao comercio, parques, ciclovias… é o Sudoeste… um pedacinho do céu!!!

        Curtir

    2. Tudo vai depender do seu poder aquisitivo. BSB é permeada de prédios. As casas são mais distantes. As melhores ficam na região dos lagos: lago norte e lago sul. Existem outras de condomínio depois do lago sul por exemplo, mas que são distantes e exigem mito de você caso queria almoçar em casa por exemplo. Apartamento recomendo asa sul, são velhos mas são maiores e tem uns reformados. Seguranca é a melhor parte em BSB. Mas no PLANO. Fora disso, já não garanto. Boa sorte!

      Curtir

    3. Oi! Sugiro os condomínios do Jardim Botânico, próximo à ponte JK, aquela com arcos ao longo. É um local muito aprazível e de fácil locomoção. Dependendo de onde vc for trabalhar, há outras opções tb.
      Bem vindo à capital federal!
      🙌🏼

      Curtir

    4. Não indico nada, Antonio! Moro perto do Parkshopping, no Prime. Meu apto tem 02 quartos e acho muito bom morar aqui! Tem um lazer TOP. Espero ter ajudado, porque não sugiro nada!

      Curtir

  8. Eu fui embora ano retrasado e felizmente acabei voltando. Apesar de não ser daqui amo essa cidade e abracei como minha. Brasília estraga a gente; depois que moramos aqui fica difícil apreciar essa cidade. Boa sorte.

    Curtido por 1 pessoa

  9. Alegria.

    Alegria é a palavra que me define lendo o seu depoimento.
    Sou filho dessa Perfeição chamada BRASÍLIA. Amo esse lugar de uma forma tão intensa que não encontrei palavras ainda para descrever esse amor por BRASÍLIA. E me enche de alegria quando leio um texto como o seu ou escuto da boca de alguém que não nasceu aqui, mas que se encontrou com as muitas formas que BRASÍLIA se mostra. Queria que todo Brasileiro tivesse a oportunidade de residir em BRASÍLIA por alguns meses para tirarem suas próprias conclusões. Porque assim como fico alegre em ler depoimentos como esse, fico triste na mesma proporção quando vejo Brasileiros que criticam e culpam Brasília muitas vezes pelos fatos políticos principalmente, como se as pessoas que aqui residem representassem as falcatruas que os nossos políticos realizam. Orgulho de ser Brasiliense e viver nesse lugar tão simples e ao mesmo tempo sofisticado.

    Parabéns pelo texto Jeannemoura!

    #AmoBrasília

    Curtir

  10. Tao eu… AMO BRASILIA,
    Foram 13 anos de muito amor e muitas emoções. Fiz amigos demaaaais e tive muitas alegrias.
    Voltaria sempre a morar lá, Adoro a praticidade e educação da cidade! Adoro saber exatamente onde estou e o que posso encontrar por perto. Adoro os eventos culturais de graça na Esplanada. Adoro a disposição das pessoas pra ver o que acontece na cidade!!! aaaaahhhhhh Brasilia!!! ❤

    Curtir

  11. Só queria que você tivesse dito para onde ia e porque vai…. rsrsrs curioooooosa!!!!
    Cheguei em 1973 em Brasília e, ainda adolescente, levei um ano para me adaptar. Este ano foi o suficiente para ver como Brasília funcionava, pois logo comecei a trabalha, estudar e aí foi o começo de tudo. Não troco Brasília por nenhum lugar do mundo. E olha que amo viajar, conheço lugares indescritíveis, mas é aqui meu canto, meu descanso, meus amigos, minha alegria, meu riso. Aqui cresci de todas as maneiras. Acostumei-me à seca, ao mofo, às distâncias, ao verde que invade Brasília com poucas chuvas, não gosto de calor, mas o calor de Brasília é diferente, não me ensopa, os ipês me encantam, o ventinho noturno, e meus melhores amigos estão aqui. Enfim, Brasília é a minha casa. Volte logo.

    Curtir

  12. Texto maravilhoso. Uma mistura de admiração, paixão e saudade. Não sou brasiliense, sou paraense, mas nos 15 anos que lá vivi (onde vivem minhas filhas) me fizeram amar essa cidade. É um matiz de pessoas de todas as regiões do nosso Brasil. Pessoas com um ideal, um sonho, pessoas estudiosas, que sempre estão buscando superação. Brasília é uma cidade onde se conquista muitos amigos onde não existe outro lugar para guarda-los, senão dentro do peito. Você disse tudo, com muita propriedade, leve o carinho dos brasilienses e ao retornar, os braços estarão sempre abertos para a bem-vinda e o forte abraço!

    Curtir

  13. Lindo e poético texto. Fica claro que fazer com que o lugar onde habitamos se torne mais humano depende de nós. Da nossa disponibilidade em fazer amigos, desprendermos de pré conceitos e ter um olhar e atitudes que faça com que nos relacionemos com tudo o que nos cerca de forma prazerosa.
    Com certeza você viveu momentos inesquecíveis que ficarão guardados para sempre em suas melhores lembranças.
    Que você continue aproveitando o que de melhor a vida te proporciona.

    Curtir

  14. Brasília minha terra natal, morei até os meus 11 anos e agora moro em Goiânia. Nunca irei encontrar pessoas como as de Brasília, tive os melhores vizinhos e os melhores amigos. Sempre que volto lá me sinto leve. ❤

    Curtir

  15. Amei o texto!!! Morei 07 anos lá e fui muito feliz!!!! Me identifiquei tanto com suas palavras….. Deixei grandes amigos…. Hoje moro no Rio de Janeiro mas meu coração continua em Brasília!!!! Boa sorte p vc!!!

    Curtir

  16. Sou carioca, resido em Brasília desde 1972, vivi a construção dessa Cidade que tanto amo. Viajei no seu texto! Chorei de emoção! Infância no Park da Cidade, passeios nos Shoppings, as loucas tesourinhas! Kkkkk eu me sinto no Paraiso! Seja feliz onde for e volte sempre!

    Curtir

  17. Adorei seu texto, sempre que viajo quero minha “Brasília” de volta. Não me canso de admirar a cidade, com tantos encantos e as pessoas que nela habitam. Somos uma mistura de todo Brasil. As vezes as pessoas julgam os brasilienses como frios, egoístas, mas, chegam e não se abrem à novas amizades, não buscam conhecer pessoas. Ninguém vai criar laços, se vive só dentro do seu “mundinho”, é preciso semear para colher essas relações.
    Boa sorte nesse novo lugar que está indo e volte sempre. Brasília te espera com os braços sempre abertos.

    Curtir

  18. Passei dias em Brasília como instrutor da ECT e reconheci no texto partes de minha percepção sobre a cidade. Me encantei com a disponibilidade de colegas de trabalho que sempre dava um jeito para um passeio após o trabalho ou visita ao Shopping. Belo texto, rico em emoções.

    Curtido por 1 pessoa

  19. Boa sorte para onde quer que vá, eu voltei… Mas queria conhecer essa Brasília de povo alegre, de pessoas amigas e que topa tudo. Já estou de volta à Brasília vai completar 4 anos e até hoje passo tardes sozinha, sem amigas para dar uma volta no shopping, sem casal de amigos para levar as crianças no parque para brincar. Eu amo a cidade, sua estrutura, sua arquitetura mas para mim as pessoas são gélidas, egoístas e preconceituosas, o que tem feito eu pensar muito em deixar minha querida Brasília.

    Bonito texto. Seja feliz!!!

    Curtido por 1 pessoa

  20. Nasci em Brasília, há quase 44 anos e sempre fui apaixonada por esse cerrado. Todas as estações do ano nos revelam grandes surpresas, desde a névoa seca do final de agosto – que faz desabrochar os ipes – ao por do sol dos dias de outono… o ceu daqui é uma obra de arte! Seu texto é verdadeiro e poético, vc teve a sensibilidade para perceber essa cidade, que muitos brasilienses não tem. Parabéns!
    Sucesso em sua nova Morada e volte sempre!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s